Como reinventar a humanidade na era digital?

Postado em nov. de 2022

Sustentabilidade | Ciência | Sociedade

Como reinventar a humanidade na era digital?

O físico e astrônomo Marcelo Gleiser encerrou a Temporada 2022 pregando a reintegração com a natureza.


O único modo de salvar o nosso projeto de civilização é nos reintegrarmos com a natureza. Assim defende e argumenta Marcelo Gleiser, conferencista a encerrar a Temporada 2022 do Fronteiras do Pensamento, que você ainda pode aproveitar. Maratone todas as 12 conferências on-line até 18 de janeiro! Acesse o site. "O religar-se com a coletividade é a única salvação para nós. A gente tem que se reintegrar com a natureza e saber que não estamos acima de nada. E defende a"ressacralização" dessa relação. Podemos partir da espiritualidade secular que existe e é a nossa capacidade de se maravilhar pelo fato que existimos e que existir é um mistério, e que somos uma raridade cósmica. Esta mensagem resume a resposta de Gleiser à questão que se propõe na conferência: como reinventar a humanidade na era digital diante de tantos desafios que estamos enfrentando, especialmente, a ameça de acabarmos, enquanto civilização, diante do aquecimento global.

Último conferencista da Temporada 2022, Marcelo Gleiser é também um astrônomo reconhecido internacionalmente por seu trabalho de divulgação científica. Há três décadas vem divulgando a ciência pela mídia no Brasil e no mundo. Em 2019, tornou-se o primeiro latino-americano contemplado com o Prêmio Templeton. É professor do Dartmouth College há mais de 30 anos, em Hanover, New Hampshire, nos Estados Unidos. E, atualmente, é colunista da National Public Radio (NPR) e conselheiro editorial da National Geographic. E já publicou os best-sellers A harmonia do mundo, A dança do universo e O fim da Terra e do Céu.

Gleiser parte da premissa de que não há dúvida de que estamos mudando enquanto seres humanos, cada vez mais integrados com tecnologias que determinam, em grande parte, o rumo de nossas vidas. "Imagine, por exemplo, você sem seu celular, uma extensão de você hoje?!". Essa integração humano-tecnológica traz muitas promessas mas, também, muitas ameaças sociais, emocionais, e éticas. Como desenhar nosso futuro usufruindo dessas tecnologias, mas mantendo nossa humanidade, nossa independência intelectual, nossa possibilidade de escolher o rumo e o sentido de nossas vidas? E como essas transformações alteram e ameaçam nosso projeto de civilização? Esses foram alguns dos temas que o físico abordou durante sua apresentação.

Marcelo Gleiser refletiu sobre potenciais transformações que a ciência e a tecnologia trazem para nosso contexto atual e futuro. Falou sobre o lado luz e o lado sombra desta realidade. E que a nós cabe defender o nosso projeto de civilização. Especialmente, pensando no que vamos deixar para as gerações futuras. E mensurou a ameça que somos ao meio ambiente como a maior delas. "Nós somos os vampiros da terra! Nós comemos as entranhas da terra. Nós nos alimentamos dos restos mortais dos seres que viveram nos últimos anos. E colocamos para fora, metabolizamos isso, gerando gás carbônico, metano, com cidades modernas, obras de arte. Temos a luz e a sombra. Mas a época que vivemos hoje é de desequilíbrio dessa dualidade." 

 

Compartilhe